Lateral do Sport relembra trajetória em curta carreira e cita Marcelo e Iniesta como inspirações

 

Após a conquista do Campeonato Pernambucano Sub-20, o Sport promoveu diversos jogadores para treinar com o elenco principal, porém apenas alguns ficaram de maneira fixa no profissional tendo os outros voltado ao Sub-20. Dos que permaneceram, Luciano Juba chamou atenção com o bom desempenho nas partidas, principalmente no setor ofensivo.

Em live com o "Monti Sport Show", página de notícias sobre o Sport, o lateral-esquerdo do Leão da Ilha relembrou o início de sua carreira, onde fez testes em times menores da Paraíba, chegou a defender o Serra Talhada e não fez nenhum teste no Sport, seu time do coração, por falta de condições.

- Times do interior, os menores daqui, são muito bons para começar a carreira. Quando eu era mais novo fui até a Paraíba para fazer um teste em um time não muito conhecido, e depois acabei jogando no Serra Talhada. Nesses clubes você tem mais oportunidades e tem uma chance maior de chamar atenção de equipes maiores. Claro que eu queria fazer teste no Sport, time que torço desde criança, mas não tinha condições. Mas conquistei meu espaço e hoje estou muito feliz de vestir essa camisa - comentou o atleta.

O jogador de 20 anos chamou atenção na linha defensiva do Sport, porém não é lateral de origem. Nas categorias de base, ele jogava como meia, camisa 10 do time, e isso ajuda na parte ofensivo em seu futebol atual. Juba teve boa atuação ofensiva principalmente na última partida antes da pausa por conta da pandemia, no empate em 0 a 0 contra o Petrolina pelo Campeonato Pernambucano, onde acertou a trave duas vezes e quase marcou seu primeiro gol como profissional.

A jovem promessa comentou que gosta de jogar nas duas posições e aceitaria voltar ao meio-campo se o treinador pedisse. Além disso, revela que se inspira em duas estrelas mundiais, um em cada setor do campo, e ainda opinou sobre quem ele vê como o melhor lateral do futebol brasileiro na atualidade.

- Desde cedo jogava de meia, mas nunca me fechei para outras possibilidades e quando precisaram, ajudei na lateral e acabei ficando. Antes, por conta da posição no campo, me inspirava no Iniesta, mas agora tomo como base o futebol do Marcelo. Hoje em dia, aqui no Brasil, acho que o melhor é o Filipe Luís, que veio da Europa e manteve o alto nível - disse o jogador.

Em alta, Luciano viu as competições serem paralisadas por conta da pandemia do coronavírus. Apesar disso, o elenco do Sport tem uma programação regrada e segue treinando em casa. Ele conta como está sendo a rotina e ressalta a saudade de entrar em campo.

- Infelizmente aconteceu tudo isso e ninguém esperava, então pelo bem da saúde de todos o melhor é realmente parar os campeonato e priorizar a saúde da população. Com isso, os preparadores físicos nos passam programações de treinos específicos e eu aproveito que tem um campo na frente da minha casa para fazer as atividades. Mas, para ser sincero, não vejo a hora de tudo isso acabar e poder voltar a jogar futebol, fazer o que tanto amo e defender o Sport - concluiu.